Técnicas para aumento da flexibilidade articular

O aumento da flexibilidade articular é freqüentemente um componente importante dos programas terapêuticos e de reabilitação e dos programas destinados ao treinamento de atletas para um determinado tipo de esporte.

Aumentar ou manter a flexibilidade envolve o alongamento dos tecidos colágenos, particularmente dos ligamentos e músculos, que limitam o AM de uma articulação.

Várias técnicas de alongamento destes tecidos podem ser usadas, algumas sendo mais efetivas que outras.

O alongamento pode ser feito tanto ativa quanto passivamente.

O alongamento ativoé produzido pela força de tensão gerada pêlos músculos do lado oposto da articulação onde estão os músculos, tendões e ligamentos a serem alongados.

O alongamento passivoenvolve o uso da força gravitacional, da força aplicada por outro segmento corporal ou da força aplicada por outra pessoa para alongar os tecidos colágenos que atravessam a articulação.

O alongamento ativo fornece duas vantagens: primeiro, a ação dos fusos musculares estirados, no interior dos grupos musculares que estão fornecendo a força, suprime o desenvolvimento de tensão ativa nos grupos de músculos que estão sendo alongados (6);segundo, os grupos musculares usados para desenvolver a força são exercitados.
Com o alongamento passivo, o movimento pode ser conduzido além do AM conseguido com o alongamento ativo, porém mostra a desvantagem de aumentar o risco de lesão.

Os alongamentos ativo e passivo podem ser feitos tanto estática quanto balisticamente. Em um alongamento estático, o movimento é extremamente lento, e quando a posição articular desejada é alongada, ela é mantida estaticamente por cerca de 10 a 30 segundos. O alongamento vigoroso ou balístico utiliza o momento dos segmentos corporais para estirar a posição articular até ou além dos limites do AM. Pelo fato de o alongamento balístico ativar o reflexo de estiramento e resultar no desenvolvimento imediato de tensão nos músculos alongados, pode ocorrer lesão nos tecidos colágenos.

Um procedimento efetivo e cada vez mais utilizado para aumentar o AM articular é a facilitação neuromuscular proprioceptiva (FNP) (veja o Cap. 4). A FNP é baseada nas respostas dos órgãos tendinosos de Golgi nos tendões musculares. Embora as bases neuromusculares para a FNP ainda não estejam completamente entendidas (8), elas vêm se mostrando mais efetivas que outras técnicas para o aumento da AM articular (5, 13).

clip_image002Alongamento ativo: (Fig. Ao lado)

Alongamento dos músculos, tendões e ligamentos, produzido pelo desenvolvimento de tensão ativa nos músculos antagonistas.

clip_image004

Alongamento passivo:

Alongamento dos músculos, tendões e ligamentos, produzido por uma força de estiramento outra que não a tensão nos músculos antagonistas.

O alongamento passivo (sem a contração do grupo de músculos antagonistas) pode ser aplicado com a ajuda de um auxiliar.

• Alongamentos balísticos ou dinâmicos podem ser perigosos porque tendem a promover contração dos músculos que estão sendo estirados e o momento gerado pode conduzir os segmentos corporais além de seus arcos de movimentos normais e estirar ou romper os tecidos colágenos.

A facilitação neuromuscular proprioceptiva é uma técnica de alongamento efetiva baseada na evocação de reflexos.

Referência:

Susan Hall, Biomecânica Básica – 1a. Ed., R.J.,1993. Ed.G.Koogan – Cap.5 – pág.88

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s