“Escolinha de Futebol” uma análise crítica da atuação profissional

Todo profissional na sua atuação deve fazer do seu melhor e não é obrigação.

Exemplificando um contexto, não entendo e não dá pra aceitar os que  trabalham com ensino do futebol na tão conhecida base a “Escolinha”, como se estivesse ensinando o processo pedagógico do esporte e solta a bola para os alunos dizendo que é um coletivo não se importando com a metodologia do processo pedagógico do pré desporto o futebol, e sem nenhuma intervenção, deixando  jogar e a “bola rolar” e de lado fica a base de uma melhor performance de aprendizado por parte do seu aluno.

Neste caso, o “professor” passa a ser o tão falado culturalmente o “rola bola”, sem comando, sem método, finge que ensina e os alunos nem imagina o que esta aprendendo, e por não entender do processo acaba aceitando por imaginar que está praticando o futebol tão sonhado por ele.

No futebol de base, no ensino aprendizagem será necessário ter mudanças nos modos de intervenções como está hoje em dia, e não tem uma fiscalização assídua por parte dos órgãos competentes que infelizmente é falho.

Não pode em pleno século XXI aceitar que tenha pessoas inescrupulosas e maldosas trabalhando nesse esporte tão praticado por aqui, digo isso, pois entendo que transformam sonhos de crianças em pesadelos,  e atuam assiduamente sem que ninguém faça nada a respeito para mudar ou melhorar.

O ideal se tivesse bons projetos sem  cobrar imediatismo com os resultados, como se fosse esporte de alto rendimento,  onde o vencer é o fator principal e na realidade não podemos começar dessa forma, oportunizar o aprendizado é o fator principal da formação na categoria de base.

Um projeto é sério quando é executado numa proposta de ensino aprendizado alicerçado em uma pedagogia e métodos de ensino para a formação integral com a finalidade contextual das disputas, mas que sejam harmoniosas e respeitosas acima de todos os parâmetros, como o jogo pré desportivo, que é uma ferramenta importante na formação da cidadania.

O jogador de futebol na base, deve ser preparado  e entender as regras do jogo como normas de convivência social, assim sendo uma ferramenta importante na construção da sua cidadania.

Deste modo, entendo que a contribuição será satisfatória em toda a sua carreira, mesmo porque, a educação forma para a vida e se tem o nome de “escolinha” devem atender a esse objetivo entre outros.

Anúncios

Uma resposta em ““Escolinha de Futebol” uma análise crítica da atuação profissional

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s